terça-feira, maio 15, 2007


UM DIA COM OS SABERES E A BELEZA DA TERRA ALENTEJANA
Montemor terra de Moinhos, Mel e Vinho!

Um belo dia de Maio, tornou-se palco de um passeio descontraído, pela natureza, de um pequeno grupo de caminhantes á descoberta de lugares tranquilos, sonhos, paisagens deslumbrantes que falam por si.

A visita ao apiário da "Quizcamp" no Reguengo foi o ponto de partida, desta vez não houve picadelas, o manto de soagens, malmequeres e o tufo de rosmaninho fizeram as delícias dos participantes.


Na descida da Ribeira do Gandum não faltaram surpresas, desde o Fura-pastos que se deixou mostrar, o forno alegremente decorado junto ao Monte Alentejano, e o ninho de "Carriça" suspenso mesmo na beirinha do caminho, que maravilha!


A aventura que para muitos constituiu a travessia do Rio Almansor até ao moinho do Ananil, só por si já valia o passeio. Saltitando de pedra em pedra lá foram, uns mais a direito (os mais foitos e habituados a estas andanças), outros zigzagueando por uma e outra margem até chegar ao destino.





Aposentados no Moinho do Ananil, chegou a hora de tratar da "barriguinha". Já nos nos esperavam os cicerones desta etapa, os amigos José Bexiga, com as belas migas de batata, enchidos e queijo da região, o Prof. Vitor Guita com a sua habitual sabedoria e boa disposição e o Pisa com a "Jinjinha" com elas.



As boas nesperas á altura do braço também deram um jeitão. Para rematar o manjar na natureza veio mesmo a matar o Poejo e o Mirtilo da tia "Estina" que faz o favor de ser minha mãe, e o Bolo de Mel, da tia "Nina" mãe dos meus filhos, que belo Pic-Nic.
Seguiu-se a visita apaixonada ao moinho do Ananil, depois de uma breve introdução sobre a história dos moinhos no concelho pelo Prof. Vitor Guita, o Zé Bexiga narrou-nos uma parte da sua infância que se confunde com a vida e o labor deste Moinho dirigido pelo seu Pai.



Desde a dureza do descarrego dos sacos com perto de 100 kilos de trigo, ao roncar ensurdecedor do motor gigante que aliviava o terror das trovoadas, passando pela fumarada da explosão da espingarda de atacar pela boca do tio ...., que resultou na caçada dum belo coelho, e até ao labor dedicado do seu pai moleiro que dormia com o moinho, foram episódios vividos na 1ª pessoa.


Seguiu-se o ultimo troço do passeio, do moinho para a Estação do Combóio, para os mais foitos através da Antiga Ponte de Caminho de Ferro sobre o Almansor, foi mais uma bela aventura e um grande susto para alguém que não fala muito bem com as alturas.




Seguiu-se por último a visita e prova de vinhos na Adega da Plansel, dirigida pela simpática Dorina, enologa desta casa, e que tão bem tem dirigido os destinos desta Adega, levando o delicioso nectar das vinhas que aqui se produz com sabedoria e carinho até ás nossas mesas, á família Bohm o nosso muito Obrigado e os votos de uma rápida convalescência e um abraço ao meu amigo Thomas, que tem atravessado momentos difíceis e os tem superado com uma força de Leão!





Uma palavra de agradecimento em especial para o meu amigo Eduardo Raposo, que através do CEDA, levou a cabo esta organização, com o apoio das Técnicas do Posto de Turismo da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, e ás pessoas que tive o privilégio de conhecer nesta visita, nomeadamente o Escultor, o Silva, o José Luís e a família da Maria José Lascas que é sempre um prazer revê-los e disfrutar da sua amável companhia, a todos muito Obrigado.
Alexandre Pirata.

4 comentários:

girassol disse...

Um beijo para ti Alexandre Pirata.
Obrigada pelas imagens, pelo relato... Sabe a pouco mas sossega as saudades desse espaço. Ou desassossega-as?!...

perfume de laranjeira disse...

Obrigado compadre Alex
Pelas palavras, pelo companheirismo, pela fraternidade, pelas belas imagens, pela forma como amas e divulgas e defendes a nossa Pátria Alentejana (que até está presente nos licores únicos e no guloso bolo de mel de que nunca te esqueces)...obrigado por tudo... pela Amizade que me honra1
Tu és um Alentejano puro!
Um abraço fraterno, compadre Alex!

marialascas disse...

As fotos lindas, como sempre.
Tu és o cicerone perfeito para descobrir cada pormenor do nosso concelho. Houve momentos maravilhosos como a descoberta do ninho, a travessia do rio, o reencontro com o Pisa, e a visita ao Moinho do Ananil guiada pelo Senhor Bexiga, pessoa encantadora.
É muito bom estar contigo com a tua linda filha, a tua mulher tão carinhosa e o Paulo, o alentejano mais bonito de Coimbra! Desejo estar muitas mais vezes com vocês todos, de quem gosto muito! Beijinhos

Bichodeconta disse...

Era de prever que as imagens fossem, como não podia deixar de ser, de tanta beleza! Assim é o Alentejo e as suas "nossas" gentes! Maravilha de passeio que deixa em alvoroço os que gostam desses lugares e da comunhão com a natureza... Obrigada por partilhar connosco estas fotos onde se nota mão de artista. Um abraço.. Boa semana.. Voltarei aqui em busca de mais e mais...