segunda-feira, maio 19, 2008

PASSEIO CAMPESTRE - MAIO 2008

A Organização foi do:
CEDA - Centro de Estudos Documentais do Alentejo,
MONTEMORMEL - Associação de Apicultores do Concelho de Montemor-o-Novo,
CMMN - Câmara Municipal de Montemor-o-Novo.


O explendor do manto florido dos campos Alentejanos, nesta época, é um cenário digno das telas dos pintores naturistas, mais exigentes.


O dia geralmente nublado, com algumas abertas, ameaçava regar os caminhantes, que nem assim arredaram pé, tendo comparecido há chamada mais de meia centena de amantes da natureza.



Foi um dia em cheio,

- onde tivemos oportunidade de conhecer um pouco mais sobre do segredo das abelhinhas, o seu importante papel na biodiversidade das espécies, como dizia Darwin "... quando acabarem as Abelhas acaba a vida no Planeta,..." tal é a sua importância para o equilíbrio na Natureza, as iguarias que nos proporcionam, visitando um dos meus apiários, como acontece o voo nupcial, a organização na colmeia, o papel de cada individuo, até se conseguir o nectar tão especial - O Mel;










- Depois seguimos caminho, no moderno e confortável autocarro da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, que nos levou até ao grande lago de Montemor - a Barragem dos Minutos;







- conhecemos o maior espelho de água do concelho de Montemor-o-Novo, a Barragem dos Minutos, a importância estratégica que assume a água nas nossas vidas, a necessidade permanente de poupar e preservar este bem escasso, que constitui a reserva de água doce potável no planeta;




Logo na Barragem dos Minutos entrou em acção o Mestre Salgueiro, o homem mais apaixonado pelas plantas que conheço.






Aqui o Mestre Salgueiro na versão de "El Torero"






- A meio da caminhada, foi altura para retemperar forças, com o Pic-Nic instalado no alpendre do Monte Alentejano do amigo Isidro, que abriu as portas da sua casa para nos receber, onde toda a sua família se empenhou para que nada nos faltasse, nem o café no final do almoço.

Foi o provar das nossas iguarias, os queijos, os enchidos, o bom vinho Alentejano, onde até surgiu uma reserva de Borda com mais de 20 anos, e para rematar como não podia deixar de ser o Afamado licor de poejo e de Mirtilo da Tia Estina, que faz o favor de ser minha mãe, esta Bebida dos Deuses fez a delícia até dos mais conservadores, que depois de provarem se apressaram a repetir.

- visitámos a Melaria do Sr.Isidro Rebocho, conhecemos o ciclo do Mel desde a recolha no campo até á embalagem que nos surge no supermercado, a melaria é das melhor equipadas do concelho, dá gosto ouvir falar este apicultor pelo Amor e admiração que tem por este maravilhoso ser, que com todo o labor nos proporciona a doçura do Mel e de tantos outros produtos naturais;









- continuámos a apreciar as palavras sábias do Mestre Salgueiro, que conhece as plantas como ninguém, começou a distinguir as suas propriedades medicinais e terapeuticas á mais de 80 anos, quando as necessidades para curar/tratar a maioria das maleitas da época, obrigava a recorrer á maior Farmácia do mundo a "Mãe Natureza", com 89 anos vende saúde por todos os cantos, experimentem acompanhar o seu passo!;








- e no fim desta bela caminhada, apreciámos o requinte e a beleza luxuriante da Quinta da Amoreira da Torre, onde nos recebeu a sua proprietária a D.ª Ana Maria Cunhal, fazendo o historial da Família Cunhal, da Amoreira da Torre e da sua bela edificação, preservada com todo o carinho ao longo de várias gerações.








O seu pátio alentejano, ladeado pela Torre central, que se destaca na paisagem rural, pela sua altivez, o belo jardim e a mata de loureiros que a envolve a Sul, a antiga Horta que deu lugar hoje á vinha, de onde saem as uvas que dão corpo ao precioso Vinho da Amoreira da Torre.












A prova de Vinhos da Amoreira da Torre, aquela Reserva que não parava de esgotar, as tapas bem biológicas, que poderam apreciar e levar para Casa.
Espero que o Mel das minhas Abelhinhas não tenha frustrado as vossas espectativas!






Foi certamente para todos um dia gratificante, nesta bela paisagem Alentejana!
Um agradecimento aos amigos que contribuiram com fotos para este Post.

Em meu nome, e da organização, o nosso Obrigado a todos por terem partilhado este maravilhoso dia connosco, nós Alentejanos mais uma vez tentámos fazer o nosso melhor para elevar ainda mais alto a nossa região, a nossa hospitalidade e o nosso amor pelas coisas belas da vida. Bem hajam!

16 comentários:

Bichodeconta disse...

Olá Alexandre, não tem conta as vezes que já aqui vim espreitar , sabia que as fotos e a descrição de todo o dia de passeio eram de me deixar de água na boca..Que belo dia devem ter passado e ainda bem.. Posso fazer já a inscrição para o próximo ano? Estou a brincar, sei que isso deve obedecer a um tempo e um espaço, mas se puder lá estarei..E não deu pra jogar á macaca? e baloiço? adoro andar de baloiço , que saudadesd dos frixos do Portaleiro onde como uma macaca passava de ramo pra ramo, e fazia tropelias de deixar qualquer um de cabelos em pé.. Um dia eu explico..Eu tinha medo que me dessem ao casal em questão, e por melhor que eles me tratassem eu só fazia disparates na certeza de que ninguem queri uma criança mal comportada..Pobre D. Maria José Góis e Manuel Basoula.Ninguém entenderá, eles eram pessoas económicamente bem na vida, mas isso a mim não interessava nada e jamais trocaria o pai e mãe que eram meus ... Tinha pavor e nunca ninguém vai entender.. Ainda hoje esse medo me acompanha embora goste muito das pessoas em questão.. Um abraço á familia no desejo de boa semana..Ell

marialascas disse...

Engraçado encontrar aqui o nome do Portaleiro e destes meus familiares. Ao contrário eu sentia-me muito bem muito segura e feliz no lugar em questão, aonde gostava muito de ir sempre que a minha mãe me deixava. Ia sózinha pela estrada de terra batida e afirmava muito orgulhosa que não tinha medo dos Mãs ( as vacas) não tinha medo de nada. De facto os meus medos eram outros... Beijinhos també para as abelhinhas.

Arco-íris disse...

Adorei...que pena não ter ido tb ao passeio,pelas fotos vejo que foi magnifico e agradavel...
Boa semana p ti e p a tua familia...beijo grande p todos,em especial p a tua querida NIna...

Bichodeconta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bichodeconta disse...

Eu explico..Eu não tinha medo de estar no Portaleiro, tão pouco tinha medo das pessoas ou dos animais..O único medo que tinha e esse parece-me justificável, era o de que me dessem a outra familia que não a minha.. Isso demonstra o apego aos meus, que sendo pobres de dinheiro eu não trocaria pela maior fortuna do mundo ou por uma vida melhor..Amo a minha familia e as minhas gentes...um abraço, ell

Bichodeconta disse...

Alexandre agora de repente pensei, quem me pode indicar onde arranjar poejos? E claro, pensei no Alexandre.. Quero tanto fazer licor... Aqui nem poejos há.. ou pelo menos eu não sei onde encontrálos..um beijinho, ell

perfume de laranjeira disse...

De facto foi um dia memorável. Fiquei muito contente, sobretudo quando estávamo-nos a aproximar do Monte do Senhor Isidro e vi a Nina chegar de carro, para almoçar connosco. O Mestre José Salgueiro esteve no seu pleno, e tu , Tu também, Amigo Alex, deixa-me dizer-to. Soubeste entregar-te plenamente às tuas abelhinhas, à Mãe Natureza, ao convívio com os Amigos, não obstante os momentos difíceis que tens enfrentado com a maior dignidade.
Eu senti alguma tristeza de não estarem lá amigos que tinham estado no ano anterior, nomeadamente os meus pais, que me disseram pesarosos, que gostavam muito de ir mas já não aguentavam a caminhada… mas fiquei contente pelas muitas caras novas, por exemplo aqueles teus amigos que conheci o ano passado na “Feira da Luz”, alguns dos outros amigos que inscrevi: o meu irmão Carlos, o Aulin (romeno da Transilvânia), os meus amigos Ana e Jorge Souto, autor, penso, de algumas destas fotos – que vieram de S. Tirso e ficaram maravilhados com o Alentejo, a Ana Paula Proença e o marido, com quem troquei impressões sobre poesia, ou a Orquídea Branco, de Aveiro, que veio com toda a família e que me ofereceu um livro fruto da sua arte gastronómica “Alquimia das Ervas”, que vou referir no meu blog. Valeu a pena ter ido um dia à noite à tua casa, com a minha filha hospitalizada, ficarmos a trabalhar até às tantas, a planear este passeio, e depois no outro dia ir, a “correr” ter com o Mestre Salgueiro para lhe fazer o convite e voltar directamente para o hospital… valeu a pena.

Como o mundo é pequeno. No dia 1 de Setembro, estávamos a almoçar um belo ensopado de borrego no Restaurante do Senhor Martins, em Foros de Vale Figueira - eu a tentar recuperar as forças depois de uma noite mal dormida -, no seguimento da visita, esta só matinal mas também muito bonita à Herdade do Freixo do Meio, guiada pelo nosso amigo comum, o pintor Manuel Casa Branca, sobre o Arte do Sobreiro. Nesse dia os meus pais estavam. A minha mãe, ao meu lado, de repente disse-me: faz hoje 40 anos… e eu: o quê, eu tinha apenas 5 anos? E , de repente regressei à minha Funcheira natal e vi-me a rodopiar na estação dos Caminhos de Ferro. Dançava ao som dum rádio que um dos muitos rapazes e raparigas, estudantes, que me cercavam trazia. Teria três, quatro anos… mas sentia-me o senhor do universo. E, de repente, acabou o cansaço, senti-me a elevar, a elevar, o restaurante, a bomba de gasolina, as casas, a povoação a ficarem para trás e vi , ali perto um monte, penso que era esse que falam, do Portaleiro…
Curiosamente percebi mais tarde que a Funcheira fica praticamente à mesma latitude, a cerca de 120 km, em linha recta. Há 40 anos deu-se para mim uma perda enorme, brutal. Passei a ter medo. Só depois de muitos anos e do regresso, do reencontro com o Alentejo perdi o medo…
O Alentejo é lugar mais bonito do mundo para viver. Estive recente em lugares tão diversos como Tânger – que adorei - Tetuan, ou no Minho, mas o Alentejo é uma lugar secreto. Mas, se não podem viver no Alentejo, apareçam ao próximo passeio…

Um abraço

Eduardo

Bichodeconta disse...

Olá, vinha em busca de novidades..Eu sei, o trabalho é imenso..Soube ontem que os amigos da Ukrania que trabalham em Catapreiro vão ser papás..Estive a almoçar com a engª Livia e percebi o carinho que ela tem por eles também.. Espero que tudo esteja vem convosco..um beijinho, ell

Bichodeconta disse...

Vinha ver se os meus poejoa já tinham chegado..deixo um abraço, ell

Bichodeconta disse...

Deixo um abraço nesta passagem ...

A filha mais velha disse...

Parece que o Alexandre anda sem tempo para actalizar o seu blog! è uma pena...

Bichodeconta disse...

quantas picadas de abelha já levaram? O mel já está nos frascos?Cá para mim, criança da cidade um dia vai pensar que o mel nasce das árvores , já enfrascado.. Pobres crianças, a culpa não é delas, é de quem não lhes proporciona momentos de comunhão com a natureza.. Ao invés de lhes mostrarem o que a terra dá, entopem as criaças de amburguer e outras aberrações alimentares e em vez de Natureza levam semanalmente banho de Centro Comercial.. Pois, dirão, e o que tem ela com isso???'Ai este bmau feitio.. Beijinho á familia, estou á espera das fotos da cresta...

Arco-íris disse...

Passei para deixar um beijinho a toda a familia...espero k esteja tudo bem...
E a Nina cm está?
Até breve...

Bichodeconta disse...

Subject: vai sair um livro colectivo com textos meus
To: ELL


e de mais 18 participantes num jogo que se desenvolveu no EREMITÉRIO - http://eremiterioblogspot.blogspot.com/
em torno de 12 palavras de partida.
O livro terá cerca de 180 páginas e será publicado pela EDIUM Editores - PVP 13,00€ - apresentação em Novembro, datas a marcar.
Se quiseres podes, desde já fazer reserva através do site da Editora -

Bichodeconta disse...

E não é que hoje vi o tio José Salgueiro na televisão!! Deixa muita gente jovem com inveja daquela capacidade e de tanta sabedoria.. Na televisão aquela gente lá sabia que se comiam catacuses e selgas(acho que se escreve assim) se não for a culpa não é minha.. Beijinho grande á Grande mulher que é tua esposa e mãe dos teus filhotes.. Lamento não ser pessoa muito de igrejas, mas acredito que ela ficará bem, porque acredito na medicina e na força do amor..

marialascas disse...

Nós vamos passando por aqui à espera de notícias das abelinhas atrvés do seu porta-voz, mas...