domingo, julho 13, 2008

CRESTA - A recolha do precioso néctar!

Há muito que as minhas abelhinhas, apelavam pela Cresta, aqui no seu cantinho.

A colmeia é o doce lar do enxame, que pelo Alentejo foi até á poucos anos utilizado o tradicional cortiço.


A laboriosa abelha começa por recolher o nectar de flor em flor, até encher a sua despensa (os favos), são necessárias centenas de milhar de visitas pelas flores de rosmaninho, alecrim, prados, eucalipto, tília e tantas outras melíferas que nos proporcionam tão grande diversidade de nectares.






Para visitar as nossas abelhinhas, é aconselhável equipamento de protecção, porque elas de amorosas que são, todas nos querem dar beijinhos.
Aqui está presente parte da equipa que participa na recolha do mel, o meu filhote, o Paulo e mais 2 colegas.



Recolher o mel nas colmeias, é sem dúvida uma das tarefas mais duras, de todo o processo, em pleno Verão suportar trinta e muitos graus, que dentro do fato representam quarenta e muitos, é preciso estar físicamente em muito boa forma. Mas quando o prazer e o fascínio de lidar com estes bichinhos não tem limites, nada custa, até o mel se torna leve!



Aqui temos um belo apiário(colmeal) tradicional de cortiços, que do ponto de vista de rendimento, higiene, limpeza e funcionalidade acabou por dar lugar á colmeia móvel, mais prática e produtiva (5 x mais que o cortiço), e onde se pode observar a evolução e o estado sanitário do enxame, em cada momento, coisa que no cortiço se torna tarefa impossível.


Chegado á melaria, é preciso tirar o mel dos quadros. Começa-se por desopercolar(destapar) os alvélolos para que o mel escorra do favo, tarefa que está a ser executada pelo meu tio Augusto, com a faca de desopercular e o meu Pai com o garfo completa o trabalho onde não tenham saído todos os opérculos(tampa de cada alvélolo).



De seguida os quadros são colocados no extractor, que pelo simples movimento de centrifugação, extrai o mel do interior dos favos, passando pelo processo de decantação para separar/limpar a cera, abelhas e outros elementos estranhos ao mel, que depois é armazenado em embalagens de 70-300 Kg, onde completa o processo de limpeza.



Por ultimo, 2-3 semanas depois começa-se o embalamento do mel, para as embalagens de acordo com a preferência do consumidor.


A decoração ficou a cargo da minha esposa, a Nina, que tem um toque especial para esta arte.



Para os amigos mais próximos e apreciadores em especial, sacrificamos alguns dos melhores quadros novos de mel, para presentear com estes lindos favos de mel, que até fazem crescer água na boca.



São iguarias como esta que fazem do campo, um lugar especial para viver, para usufruir, para partilhar com quem ousa disfrutar destas iguarias, que nunca chegam ao supermercado com esta qualidade, com este amor com que são produzidas, a massificação da produção é inimiga de tudo isto.
Ousem também vós provar, nem que seja com os olhos, estas delícias.

25 comentários:

A filha mais velha disse...

Grandes virtudes da Natureza e também do nosso amigo Alexandre que, sempre que pode, nos presenteia com as suas belas imagens!

marialascas disse...

Finalmente as fotos do parto do mel! Adorei as duas primeiras fotas e a do filhote cheio de abelhinhas. Vê-se como elas conhecem as mais belas flores!
E no final fiquei a engolir em seco... mas com a boca doce doce.
Que saudades da minha terra-mãe e de vocês. Bjs

girassol disse...

Pois eu Alexandre, como já te disse. quero desse mel. Quero sim. E desses favos. Ah que delícia!!!...À quanto tempo não saboreio o mel assim, dos favos.

OBRIGADA POR TUDO ISTO ASSIM TÃO BONITO SÓ DE VER!!!...

A sério, como falámos à dias, vou organizar-me para de uma ou outra forma trazer para mim desse vosso mel, com os enfeites da Nina. Vou ligar-te para combinar.

Um beijo grande de longe do Alentejo mas com as saudades todas. Todas as que sempre terei... Um beijo especial à Nina no desejo de tudo de bom para a recuperação dela. Tudo de melhor para vocês. Como para mim.

girassol disse...

Ah e os cortiços. Não te esqueças que quero dois ou três para que as abelhinhas vivam no meu espaço... Prometeste.

Arco-íris disse...

Adorei as fotos...o mel parece-me delicioso...
Olha vou p o Alentejo em Agosto,(Santo André,Sines...por essa zona)...
beijinhos

girassol disse...

...e sabes como há-de ficar delicioso o vosso mel? deveriam exprimentar... eu faço um queijo amanteigado de Kefir que barro em crepes, bolachinhas de água e sal ou em pão e ponho mel por cima. fica mesmo muito bom. Kefir, as pessoas normalmente não sabem o que é. talvez vocês até usem também, sendo originário do Cáucaso... diz-me se conhecem.
beijinhos

marialascas disse...

Voltei outra vez para ver as fotos de novo e faço uma correcção: o menino das abelhas não é o Paulo como por lapso escrevi, mas está lindo na mesma. Adoro a primeira foto: o que são os baguinhos? Mirtilos?!... Como seria bom partilhar o teu mel com o queijo de Girassol! Eu podia levar o pão ( amassado pela minha Mãe)...

Bichodeconta disse...

Ai que isto até me vai fazer mal á saude, não o mel que esse nem o devo provar, mas faz-me mal ver esses favos com um ar delicioso mas que está longe demais.. Dói dentro de mim a saudade dessa terra, dessas tarefas que sempre gostei de fazer.. As decorações estão lindas, parabéns á Nina por tamanha arte..E Alexandre essas cixas com favo de mel são uma maldade muito grande.. Um beijinho a toda a família e obrigada pela partilha das fotos e das tradições que infelizmente se vão perdendo..Aquele abraço, Ell

Bichodeconta disse...

Bem, eu nem te digo as vezes que já tinha passado por aqui em busca destas maravilhas.. E vou voltar , sempre..

perfume de laranjeira disse...

Finalmente postaste a cresta!
Agora, neste momento, estou a ouvir o Grupo Coral que levei à um ano à Casa da Música. E foi tão bonito! Só fiquei triste por ser o único alentejano entre os 400 na plateia...e quando te desafio para expores a tua arte, excusaste na falta de tempo - não o conseguiste o ano passado quando te desafiei na Feira da Luz e sei que te deu um grande prazer lá estares com o Manel Casa branca) e como Carlos (Pinto de Sá)a apresenatares o meu livro e a dares um cheirinho da tua arte. Tens que repertir e assumires sem pejo a tua Arte!
É neste momentos dificeis porque (infelizmente) tens passado e eu já passei (estou cá com toda a força do mundo) que percebemos que que o tempo também somos nós, e tempos o poder de o parar quando queremos.
obrigado pelo comentário bonito sobre o roque, mas eu continuo o ser o menino que saiu do Alentejo há 40 anos e cada vez vez está mais apaixonado porque ele. Afinal tu postaste quase tudo sobre a cresta. Mas eu logo naquela noite ao sair do carro, na rua do poço do paço, antes de entrar na casa de hospedes da D. Gertrudes abrir o boião daquele mel que me deste e saboriei-o como quando na horta do meu pai, abria um tomate em 4 talhadas e o comia ali mesmo. Afinal já encontrei as chaves do Mestre Salgueiro, se estiveres com ele diz-lhe e dá-lhe lá um abraço grande meu!
Um destes dias vou a Évora, ao Centro de Estudos Árabes, trabalhar, fico uns dias, e depois fazemos aquele jantar adiado. Mas falando em mel, queijo e pão.. parece-me que falta o vinho... e que tal um plansel reserva como aquele que bebemos em Maio do ano passado... ou um Esporão como o que bebemos no Moinho...
Só no Alentejo a plenitude é total!
Um abraço grande deste teu Amigo (menino) fraterno que almeja o absoluto porque só assim a Vida faz sentido.
Eduardo

perfume de laranjeira disse...

E para ti e para quem aqui passa e sabe usufruir a singela e plena beleza deste espaço aqui deixo um poema (excerto) de Pablo Neruda, o poeta do Amor!

"Ao mel antigo e ao novo
esplendor da vida é que vim
À vossa vossa paz e às vossas portas,
às vossas lâmpadas acesas,
Às vossas bibliotecas solenes
de tão longe vim
(...)
Sou a testemunha que vem
visitar a vossa morada.
Oferecei-me a paz e o vinho.
Amanhã cedo partirei.
Espera-me em toda a parte
a Primavera."
Luz e Paz para vós!

Lídia disse...

Ver estas fotografias levou-me em viagem ao passado, no campo, com os meus avós, quintaneiros já desaparecidos.As abelhas e a cresta foi algo que fez parte da minha vida na meninice. Obrigado por estas coisas tão simples e tão essenciais á vida.
Lidia

FMalhão disse...

Olá Grande Alexandre!Bonito e interessante é este teu blog! A Nina tem muito jeitinho para os arranjos. Aqui lhe mando um beijo, com os meus sinceros votos de rápida recuperação.

Estou com água na boca a olhar para esses favos, para esse nectar. Quando vieres a Coimbra não te esqueças de me avisar. Não começo o dia sem uma colher de mel e, pela cor clara do teu, é desse que costumamos consumir. Se tens para venda, gostaria de adquirir desse teu mel. Até um dia destes!

carlos x disse...

Excelentes fotografias das abelhas,
como aliás já é um hábito teu.
Volta e meia venho aqui ver umas novidades.

Bichodeconta disse...

Passei para comer um favo de mel e lamber os dedos.. deixo um beijinho á família na certeza, e sobretudo na esperança de que tudo esteja melhor..

Arco-íris disse...

Querido amigo só agora vi as tuas msg...:(
Tive no Alentejo...mas n te preocupes St André é o local onde passo férias todos os anos e tenho la amigos,irei la em breve de certeza, e ai já estaremos todos juntos para tomar café ou p jantar...
beijinos do norte...
Marta

Bichodeconta disse...

Olá Alex , por vezes passo por aqui e nem deixo rasto, venho só ver as abelhas e as fotos do mel..Como está tudo por ai? Um abraço e o desejo de que estejam bem..

Arco-íris disse...

Passei p lhe deixar um beijinho a si e a toda a familia...
Voltarei em breve

Bichodeconta disse...

Truxe umas tostinhas e passei para me deliciar com um pouco de mel.. Que é feito de voces amigo?????Férias? espero que a saude esteja controlada..um beijinho, ell

Exterminador disse...

Boa reportagem sobre as voltas do mel. Principalmente, o final. E agora que fiquei com água na boca, vou lavá-la com uma colher de mel.

Bichodeconta disse...

Bem, passo outra vez, e já envergonhada de tanto mel comer, hoje nem toco num favo! Estas iamgens são lindas, voltar aqui é sempre uma coisa prazerosa..Ando como as abelhas, elas em busca de nectar pra fazer o mel, eu em busca de noticias vossas.. Vou pela porta das traseiras ver se consigo noticias..A Nina como vai? E todos por ai..deixo um abraço e a promessa de voltar..um beijinho, ell

Bichodeconta disse...

Eis-me aqui de novo..
Deixo um abraço..

marialascas disse...

Quando tenho saudades tuas, do Alentejo, das flores e das abelhas viajo até aqui, como hoje...

Espaço do João disse...

Meu caro Alexandre.
Este ano foi um ano para esquecer.
As geadas que se fizeram sentir foram tais que perdi três das quatro colmeias. Assim, doei a outra a um amigo apicultor. Felizmente resistiu. Bonita reportagem de sua esposa. Parece que a família é fã dessas andanças. Desejo muita sorte e uma boa colheita. Há , já me esquecia. Não gosto de ver as minhas amantes em cortiços. pode ser muito saudável, mas para mim, só o colmeal em alças. Abraços "abeilhudos" . João

Manuel disse...

Gostei da exposição pela dedicação ás abelhas . São realmente interessantes.
Estou a iniciar-me nestas lides. Se souberem de alguém que tenha um extractor usado para vender, estou interessado.
Contacto: manuelwsantos@gmail.com
Obrigado